Por que instalar Ubuntu via Wubi não vale mais a pena

Por que instalar Ubuntu via Wubi não vale mais a pena

Há algum tempo atrás escrevi um post falando das vantagens que o Wubi apresenta para quem deseja iniciar no mundo do Ubuntu, novos usuários vindos do Windows, porém uma notícia recente vinda do OMG Ubuntu fez com que eu revesse alguns conceitos e explicar porque ele não vale mais a pena, e se pensar bem, nunca valeu.

Wubi

O intuito principal é fornecer uma instalação Ubuntu de forma simples e fácil, tendo a facilidade de desinstalar facilmente, assim como qualquer outro programa, bastando apenas abrir o aplicativo e apertar no botão. Confesso que minha iniciação no Linux veio a partir dele e estava muito satisfeito, mas nem tudo é perfeito.

A instalação que é feita não apresenta todo o potencial do sistema, tendo um desempenho inferior, isso tem fundamento se pensarmos da seguinte forma: se através do Wubi a instalação fica em um modo isolado dentro do próprio Windows, quando formos acessar seus dados, a velocidade de processamento não será igual como se fosse diretamente ao disco rígido, como na própria Wikipédia explica.

E também houve relatos de usuários informando perda de dados e arquivos, além de problemas ao logarem em suas máquinas. É muito mais conveniente que seja criado uma máquina virtual e seja feito a instalação por lá, até porque o intuito disto são testes e experiências. E se caso desejar utilizar o sistema, facilmente encontrará diversas formas simples de instalação, que em momento algum irão comprometer o sistema atual.

Sem o Wubi, e agora?

Wubi ainda permanece com uma ideia muito bacana, porém a Canonical deve repensar outras formas de poder incentivar novos usuários como, por exemplo, o Tour dentro do site, que por sinal é algo muito legal, dá uma ideia satisfatória de como é o Ubuntu.

O que você achou dessa atitude? Realmente o Wubi deve acabar ou ele ainda tem um forte propósito a ser seguido?

Instalação via Wubi: todo primeiro contato com Ubuntu devia ter sido assim

Instalação via Wubi: todo primeiro contato com Ubuntu devia ter sido assim

É comum um usuário Ubuntu incentivar sua utilização para amigos e familiares, contando as vantagens e benefícios, oferecendo-se para instalar em seus notebooks e computadores, carregando o pendrive no bolso e fazendo todo aquele processo através do BOOT via USB. É a maneira mais rápida e tradicional de se instalar, isso se você tiver conhecimentos básicos de informática, mas e quem nunca teve contato e está sozinha? Ela também tem direito de poder experimentar o Ubuntu e ver se atende suas necessidades. Então aí que entra o Wubi.

Wubi

O Wubi foi uma sacada genial dos desenvolvedores para que seja incentivado a instalação facilmente através de sistemas como o Windows através do arquivo.exe.

Instalar via Wubi é tão fácil quanto o MSN. Pois é, se você já o instalou um dia, com certeza tem as habilidades necessárias para poder ter o gosto e conhecer mais de perto como funciona um sistema open source, e o melhor que tudo é rápido, fácil e retroativo, ou seja, se caso não gostar, desinstalar será simples e não deixará qualquer tipo de vestígio em seu computador, comprometendo em nada em seu funcionamento antigo.

Se estiver em 2 pessoas, aconselho que deixe o aplicativo no desktop e deixe que o próprio usuário faça a instalação, dando suporte quando houver dúvidas e dando dicas de como proceder nos momentos em que houver hesitação. Em poucos passos e em curto tempo poderá ter 2 sistemas em dual boot, podendo escolher qual deseja utilizar. Se caso você compartilha seu computador com outras pessoas, elas podem utilizar tranquilamente o sistema atual e você pode explorar o Ubuntu do outro lado, e tenho certeza que irá gostar, e irá incentivar a migrarem também.

O legal é que caso não se satisfaça, a desinstalação demora apenas 6 segundos! Então não há desculpas para não poder explorar e sair um pouco da sua zona de conforto, até porque as melhores coisas da vida acontecem quando saímos dela.

Alternativas ao Wubi

Utilizar Ubuntu via virtual machine não traz uma boa experiência, principalmente para iniciantes, os métodos de configuração não são amigáveis e sempre surge alguns problemas no processo de instalação. Se a pessoa conseguir fazer a instalação sozinha via Wubi, desinstalar não será um processo de outro mundo. A pessoa tem o total controle dos procedimento, além de que vale como uma ótima experiência, e toda experiência nova é bem vinda, vale muito como aprendizado.

Dê poder e autonomia ao novo usuário, incentive a curiosidade, mostre os caminhos para que possam adaptar o sistema de acordo com o que precisar, se caso desejar o messenger, um editor de imagens, player de vídeo ou músicas, há programas sensacionais que suprem completamente seus desejos diários.

Instalar Ubuntu via pendrive traz a ideia de que é complicado, não é qualquer um que sabe mexer na BIOS de seu sistema por mais simples que seja, amedrontando cada dia mais novas pessoas que desejam experimentar algo novo. Confesso que sempre instalei via Wubi e não tive qualquer tipo de problema, e tenho a total liberdade de a qualquer momento cansar ou desistir do sistema e voltar para o antigo, mas isso é muito improvável. É leve, rápido, prático, ganho muito tempo procurando meus arquivos através do Unity ao invés de ficar clicando pasta por pasta.

E aí, qual era o seu maior medo tentar experimentar o Ubuntu? Diga para o pessoal como foi sua experiência, sempre terá pessoas que estão passando agora por isto e você pode ajudá-lo com muito pouco. Colabore, todos tem a ganhar com isso.

Testando o Ubuntu sem comprometer o seu computador – Parte 3

Depois de ter mostrado como usar o Ubuntu LiveCD e também algumas dicas sobre o que avaliar para mudar de sistema, vamos finalizar esta série mostrando o Wubi (Windows Ubuntu Installer).

Para quem não sabe o Wubi, é uma ótima ferramenta criada pelo time da Canonical a fim de dar uma “prévia” do Ubuntu para quem tem Windows na máquina. Assim o usuário pode experimentar o Ubuntu antes de tomar uma decisão definitiva

O Wubi abstrai toda a complexidade da instalação do Ubuntu (se é que existe…) e deixa o dual boot (Se você tem 2 sistemas no mesmo PC,  o recurso do dual boot serve para  escolher qual será inicializado) pronto entre sua versão do Windows e a versão do Ubuntu que você tem em seu pendrive/CD.

O único “porém” deste enfoque, a meu ver, é que o Wubi deixa o Ubuntu um pouco lento na máquina. Claro que isso pode ser contornado com hardwares mais potentes.

Então como funciona esse tal de Wubi afinal de contas? O funcionamento dele é simples.

  1. O Wubi é um programa que roda em ambiente Windows, ou seja, tu não podes instalar ele no teu Mac (Não tentem fazer isso no Windows Mobile/Phone!);
  2. Ele passa o Windows na conversa dizendo que é um programa, tanto que ele mesmo aparece no menu Adicionar/Remover Programas, do Windows;
  3. O Windows enxerga o Wubi como um software que está em alguma pasta do HD e que ocupa 6,7,8 ou 9 GB (e assim por diante);
  4. O Wubi coloca no HD (você pode escolher a partição) os arquivos necessários para completar a instalação do Ubuntu e, grava um registro no disco rígido informando que o dual boot vai ser necessário (Na verdade ele faz isso na MBR);
  5. Quando você quiser retirar o Ubuntu, entre no Windows e desinstale o mesmo via Adicionar/Remover Programas (e tudo voltará ao normal).

Agora que sabemos um pouco mais sobre a mágica que o Wubi faz, vamos fazer isso na prática.

Procedimento de Instalação:

a) Coloque o LiveCD (pode ser pendrive!) do Ubuntu no seu PC com o Windows já carregado;

b) Depois de alguns segundos a tela do Wubi aparece. Clique na opção Instalar dentro do Windows;

Tela Inicial do Wubi

c) A tela de configuração aparece e você pode escolher a unidade onde o Ubuntu vai ser instalado (Nota: Tem que ter pelo menos 6,2GB livres para não dar problema), o idioma da instalação, o tamanho do espaço reservado para isso, o ambiente gráfico e seu nome de usuário/senha. Você pode usar o exemplo da figura abaixo (coloque o SEU nome de usuário!) e clique em instalar.

Configurando o Wubi
Instalação em andamento

d) Em seguida o Wubi irá pedir para reiniciar. Salve seus trabalhos, feche tudo e reinicie o PC.

Reiniciar o PC

e) Quando o PC reiniciar, você verá a tela de dual boot mostrando que é possível inicializar o Windows ou o Ubuntu. Escolha o Ubuntu para concluir a instalação.

Tela de Dual Boot entre Windows e Ubuntu (Rodando em Máquina Virtual)

f) Em seguida irá aparecer o sistema de instalação do Ubuntu informando que está concluindo a instalação. Espere até a sua conclusão.

Concluindo a Instalação do Ubuntu

g) O PC pode reiniciar depois de concluída a instalação do Ubuntu. Se isso ocorrer, no menu de dual boot escolha Ubuntu. O menu do Grub também pode aparecer (qual opção você vai escolher???).

Tela de Boot do Grub

h) E…voilà!! O Ubuntu está instalado e você pode fazer o login com as credenciais fornecidas por você no momento em que instalava o Wubi via Windows.

Login Ubuntu

i) Como podemos ver, o Ubuntu está instalado e operante!

Unity

Procedimento de Desinstalação:

a) Desligue/Reinicie o PC;

b) Na tela de dual boot escolha Windows;

c)Abra: Menu Iniciar -> Painel de Controle -> Adicionar e Remover Programas (Se você usar o CCleaner fica mais fácil!);

Painel de Controle - Windows XP

d) Quando os programas instalados no Windows aparecerem, escolha o Ubuntu e clique em alterar/remover;

Adicionar e remover programas - Escolha Ubuntu

e) Na janela que aparecer clique em Desinstalar;

Para retirar o Ubuntu, clique em desinstalar

f) Quando aparecer a informação que o Ubuntu foi desinstalado, clique em finalizar;

Clique em Finalizar para concluir o processo

Reinicie o PC e veja se a tela de Dual Boot vai aparecer (Já vou te adiantar, não vai aparecer!).

Pronto! Seja feliz usando o Ubuntu ou qualquer outro sistema que desejar.

Caso você decida instalar o Ubuntu de vez na máquina eu recomendo que você faça um backup dos seus dados antes, inicialize o PC com o pendrive/CD e siga os passos do assistente de instalação do Ubuntu.

Esta série finaliza aqui. Até o próximo post.

Deixe seus comentários, sugestões e por aí vai, na seção de comentários do site.