Ubuntu 13.10 beta 2 liberado para download

Está liberado a versão Ubuntu 13.10 beta 2 para download

A versão beta final do Ubuntu 13.10 esta disponível para download, trazendo uma poderosa busca semântica no Unity Dash.

Ubuntu 13.10 beta 2 liberado para download

Baixe esta versão e suas variantes do 13.10 aqui

O BETA vem por padrão com o Smart Scopes, transformando o Dash como uma poderosa área de busca. Digitando um termo na área no Dash, a busca corre atrás das respostas em vários sistemas mostrando resultados do Wikipedia ao Google. Bom hein?

Veja um breve preview do sistema abaixo:

Ubuntu 13.10 beta 2 liberado para download

10 motivos para você testar o Ubuntu

10 motivos para você testar o Ubuntu

Nós, humanos, temos uma fixação estranha e quase obsessiva em listas. Listas para compras, de discos mais legais do mundo, do guitarrista mais virtuoso do Universo conhecido e assim vai. Parece que precisamos ler e reler muitas vezes uma pequena lista antes de tomarmos alguma atitude que nos traga benefícios práticos ou emotivos.

No mundo da tecnologia é muito comum vermos listas demonstrando pontos específicos de um produto que nos mostre pontos-de-vistas que não tínhamos conhecimento. Neste caso específico que se baseia a lista “10 motivos para você testar o Ubuntu”.

O foco não é denegrir o que você já usa ou mostrar uma superioridade “quase xiita” em favor de um sistema. O objetivo é mostrar que existem pontos que você não conhecia ou que conhece, mas não tinha ideia de que se aplica a um sistema Linux que muita gente fala por aí e que na verdade você não tem noção do que se trata. Vamos lá.

Ubuntu

1. Interface moderna

Desde abril de 2011, o Ubuntu mudou sua interface do Gnome clássico para o que chamou de UNITY. Essa quebra de paradigma criou muita incerteza entre os usuários e alguns conflitos de uso, mas isso mais foi por conta de uma interface acessível ao extremo. Tudo é muito mais simples, mais limpo e quase minimalista.

O Unity tem um bom grau de personalização, aproveita melhor o espaço no desktop em monitores widescreen e com algum pouco tempo de uso você se acostuma. Esta em constante aprimoramento pela Canonical.

2. Personalização

Neste item, o Ubuntu é um primor. Ele permite grandes níveis de personalizações que vão desde uma simples mudança de tema, por um que te agrade, até a escolha de outra interface como o Cinammon ou Gnome Shell. O sistema é o mesmo mas a “cara” pode ser mudada com alguns poucos cliques.

Ainda existem programas de terceiros, como o Ubuntu Tweak, que te dá mais poder de personalização sem ter que usar um terminal (mesmo você podendo usar, se quiser). Tudo ali, perto de você.

3. Softwares

Imagine entrar numa central de programas, onde você pode baixar milhares de programas para uso sem ter que comprar licenças e sem limite de uso do mesmo. Sim, isso existe. Milhares de programas similares aos que você usa diariamente.

O Centro de Programas do Ubuntu tem mais de 40 mil softwares que vão de jogos a suítes de escritório prontos para uso. É tanta opção junta que é muito comum não saber qual seria a melhor escolha para ouvir seus mp3. Mas ai é que esta a graça do software livre: liberdade de escolha. Você decide.

4. Compatibilidade de Hardware

O Ubuntu/Linux consegue ter um alto nível de compatibilidade de hardware antigo e o mais moderno também. Mas aqui vale a ressalva de que nem tudo são flores, pois podem ocorrer problemas entre algumas placas de vídeo.

Um PC com 512MB de RAM, processador 32 bits e com 5GB de espaço de HD já é suficiente para rodar o Ubuntu. Mas se você ainda tem um PC mais fraquinho, pode tentar usar o Lubuntu (uma variante do Ubuntu específico para máquinas antigas).

O que mais posso dizer sobre este item da lista? Não me preocupa guardar aquele CD de drivers como se fosse o Santo Graal na gaveta. Só isso já justifica o teste, não?

5. Integração com as nuvens

Então você tem milhares de arquivos que não quer nem imaginar em perder? Aqueles documentos que te salvam diariamente e que não pode confiar em HDs externos ou em pendrives?

No Ubuntu, assim que você o instala já tem o direito de usar o serviço chamado UBUNTU ONE. São 5gb de espaço gratuitos onde você pode (e deve) integrar ao sistema local, podendo enviar seus arquivos para as nuvens e compartilhar com seus amigos, se assim quiser.

Ainda não ganha em termos de facilidade de uso do DropBox, mas é muito prático e integrado por padrão ao sistema, sem precisar instalar nenhum aplicativo adicional. Eu recomendo.

UPDATE: Este serviço será fechado em julho próximo.

6. Segurança

A fama do GNU/Linux em ser um sistema seguro você já deve ter ouvido falar por ai e não é exagerado, pode acreditar.

Existem muitos fatores para que o Linux seja seguro e neste artigo você poderá entender melhor esse assunto tão complexo. Vale a leitura.

Eu uso o Ubuntu a anos e nunca peguei vírus, trojans, malwares e etc. Claro que o diferencial sempre será seu zelo com o que esta mexendo. Auto-confiança elevada pode trazer estragos inesperados, mas no mundo Linux isso é incomum.

O sistema pode ter um bug ou uma falha de segurança? Sim, pode. Mas ao contrário do que esta acostumado, os bug-fixes são distribuídos no menor tempo possível. Não existe uma data especifica para updates de segurança! No Ubuntu o sistema é atualizado sempre que necessário e isto é bom.

7. Ferramentas de Administração

No Ubuntu você administrá-lo remotamente! Imagina você se logar usando apenas um navegador em algum lugar do mundo e assim pode usar seu PC. Tudo isso graças Landscape.

E você pode acessar o domínio Active Directory do Windows com ferramentas tipo LikeWise Open ou o Centrify.

8. Suporte VPN

Nos repositórios do Ubuntu, você pode instalar o OpenVPN, que usa um protocolo seguro baseado em SSL/TLS.

9. Suporte Técnico

A Canonical oferece suporte técnico oficial, por um custo inicial de U$80 dólares por ANO!!! Ou seja, menos de 14 reais por mês. Mas você não tem essa grana? Ok, existem dezenas de blogs e apoio nas redes sociais onde você pode ter ajuda de outros usuários. Tudo gratuitamente.

10. Preço do Ubuntu

O Ubuntu 12.10 é gratuito. Não tem custo algum. É livre para uso e distribuição. Se tudo o que você leu não te convenceu a testar o sistema, agora deve ter te dado um grande passo para mudar de ideia.

Basta você acessar o site da Canonical, baixar o arquivo .ISO, queimar num DVD-R e testar no seu PC sem precisar instalá-lo rodando direto do drive de DVD.

Não tem paciência ou tempo para isso? Tá. Clica aqui e teste o sistema agora mesmo e para de choro.

Bem amigos e amigas, não quero aqui tentar mostrar uma “superioridade forçada”, mas sim, listar os principais motivos para se testar o Ubuntu. Se você se lembrou de outro item, comente, ok?

Estes foram os 10 motivos para você testar o Ubuntu.

Usando o Ubuntu em carros inteligentes

Hoje, o site OMG!Ubuntu destaca um vídeo de uma Mercedez Bens inteligente, ou seja, totalmente capaz de se locomover sem um piloto (motorista) usando apenas sensores, câmeras e o principal: um sistema confiável. E este sistema escolhido pelos alemães é o… Ubuntu.

Veja:

Mas vale lembrar que esta inteligência já é testada e conferida aqui em nossa terra.

Bem… funciona mas… curte uns sustos engraçados como este:

A divulgação do Ubuntu é fundamental para o crescimento do sistema

É perceptível de acordo com o tempo devido a quantidade de informações que a internet dispõem que o número de usuários de sistemas Linux vem crescendo de forma muito boa, com a divulgação nas mídias e a expansão do Ubuntu para celulares por exemplo, porém ainda há a sensação de que poderia ser melhor e maior.

Infelizmente como já comentado aqui no blog, muitas pessoas tem medo do Ubuntu por causa dos seus antigos mitos e que há muito já foram ajustados. Para poder mudar esse cenário é importante a divulgação.

Por que estou tocando nesse ponto?

Tenho um amigo que nunca demonstrou interesse no sistema, e em uma visita dele falei para pesquisar algumas coisas na internet e deixei meu Ubuntu aberto, sem qualquer instrução foi tranquilo a utilização do sistema, seja procurando arquivos via Unity ou abertura de programas e jogos. Ele ficou fascinado pela agilidade do sistema, saber que não há necessidade de anti-vírus ou desfragmentação de disco, não imaginava que era tão simples.

O ponto em questão é: “Enquanto as pessoas não experimentarem e verem realmente como funciona o Ubuntu, não haverá interesse”. É que nem aquela matéria na escola/faculdade que já ouvimos falar, podemos até precisar, porém enquanto não for obrigatório, deixa de lado e segue a vida.

O Ubuntu percebeu esse detalhe e por isso foi criado o tour. Claro que lá é um exemplo bem simples do que realmente o sistema é, além do poderoso terminal, mas fica claro que o Unity trouxe facilidades melhores que muitos outros gerenciadores de arquivos, como por exemplo no Windows com sua barra de iniciar e seu sistema de procura de arquivos que é um pouco ruim.

Precisamos de maior divulgação do Ubuntu. Em eventos de cultura open source há oficinas para que seja instalado distribuições Linux para quem quiser, em dual boot para que não danifique o sistema anterior. Basta um pouco de força de vontade e paciência que o sistema irá crescer, e quanto mais usuários tiver, melhor serão as soluções desenvolvidas para a plataforma, visto como empresas de placas de vídeo e a Steam, por exemplo.

Gostaria de saber histórias de vocês e experiências de pessoas das quais ajudaram a migrar para o Ubuntu, e também desejo que ajude outras pessoas que tem interesse no sistema a instalar, basta um pendrive e boa vontade em 2 horas que fará uma enorme diferença na vida do outro.

Por que programadores preferem Linux para trabalhar?

O mercado de trabalho é dividido em 2 vertentes: Trabalhos open source e trabalhos corporativos. Como funcionam? Os trabalhos corporativos geralmente trabalham com sistemas e tecnologias privadas, aqueles sistemas que são secretos por questões de segurança e existem diversas pessoas das quais fazem a manutenção dele e outras coisas. Já o pessoal do mundo software livre é focado em divulgar seus trabalhos e projetos. Em ambos os casos há suas vantagens e desvantagens, mas o que é mais interessante é o compartilhamento de conhecimento, coisa da qual o Linux e Ubuntu valorizam muito.

O Ubuntu é um dos sistemas operacionais preferidos dos desenvolvedores. Por quê? Devido a sua estabilidade, facilidade de instalação de ambientes de desenvolvimento e o poder que o terminal proporciona. O que é legal do Ubuntu é que permite que seja desenvolvido qualquer tipo de plataforma dentro dele, se em casos específicos que são necessários ambientes Windows, o Wine pode suprir sem problemas suas necessidades, tendo o Ubuntu no fundo.

E então, porque programadores preferem Linux?

Em suma, o terminal é a grande chave da preferência, acredito que se você está lendo esse artigo deva ter o mínimo de conhecimento de como funciona o terminal, se não tiver não há qualquer tipo de problema, em poucas pesquisas dentro do site (Ubuntu Dicas) tenho certeza que ficará familiarizado. O terminal oferece a vantagem de criamos aplicações e instalar pacotes de forma simples. Linguagens de programação que atualmente estão em destaque são baseadas em ambientes que tem terminal, tais como Python ou Ruby.

É que nem aquela história que todo mundo conta e quase ninguém acredita, confesso que nem eu acreditava, que uma vez que pega gosto no Ubuntu, raramente encontrará satisfação em outro sistema. Por que digo isso? As facilidades e possibilidades de configuração que o Ubuntu oferecem facilitam e muito nas configurações de sistema, além dos ambientes isolados que organizam melhor nossas ideias.

Temos diversas outras vantagens, servidores, ssh, bancos de dados, deployment e ferramentas de desenvolvimento. O que faz a diferença é pelo fato do sistema ser robusto, estável e personalizável. Quando se trabalha com desenvolvimento é necessário diversas configurações personalizadas para cada projeto, sendo assim ambientes isolados são fundamentais para organização.

Diga suas razões para usar Ubuntu ou Linux como ambiente de trabalho e desenvolvimento.