Samsung adere ao software livre

Samsung adere ao software livre em suas TVs

Vai ser lançada este ano a primeira TV inteligente com software Tizen da Samsung.

Samsung adere ao software livre

A Samsung irá utilizar o sistema Tizen– que é de código aberto – em suas TVs a partir deste ano.

Para além da redução de custos, a gigante sul-coreana pretende deixar de estar totalmente dependente do sistema operativo Android da Google. Em declarações sobre este projeto, o vice-presidente-executivo da Samsung, Lee Won-Jin afirma que “a construção da plataforma inteligente com base no Tizen representa um passo em direção a um sistema integrado mais inovador e inteligente”.

A Samsung está a colaborar diretamente com a multinacional norte-americana Intel no desenvolvimento da plataforma Tizen. O objectivo é que esta plataforma possa ser posteriormente incluída em muitos outros aparelhos, como por exemplo telemóveis, electrodomésticos e máquinas fotográficas. A primeira desta nova gama de televisões inteligentes será apresentada pela Samsung no decorrer da próxima semana na Feira Internacional de Electrônica de Consumo, em Las Vegas.

As principais características destas novas televisões inteligentes, e que as podem diferenciar no mercado, estão ligadas a três grupos centrais: O fácil acesso através de uma interface redesenhada, em que o conteúdo apresentado será definido pelo próprio utilizador. A tecnologia Wi-Fi Direct e a conectividade por Bluetooth vão permitir a conexão automática de vários dispositivos e a troca de informação entre eles, permitindo até passar para um smartphone o que estiver a ser transmitido num qualquer canal.

O entretenimento também não foi esquecido e será de facto uma mais-valia. Nestas novas televisões será possível ter acesso ao PlayStation Now, o serviço de streaming de jogos da Sony. Basta utilizar um controle dual-shock para divertir-se, sem ter de adquirir nenhuma consola própria para o efeito.

Um vasto leque de opções vai permitir que estas televisões tenham uma maior flexibilidade de utilização. A compatibilidade do Tizen com outros gadgets irá permitir o controle de qualquer “casa inteligente” através destes novos televisores. Desta forma a Samsung pretende revolucionar o entretenimento através das suas televisões.

Fonte: http://pt.blastingnews.com

A Samsung irá agradar mais aos clientes usando open source, não acha?

OpenStreetMap – mapas open source

Você conhece o Google Maps, não é? Acho que sim.

Mas sabia que existe uma versão livre (open source) de mapas mais simples mas muito mais rápido e que o Foursquare e a Wikipédia trocaram o Google Maps por ele?

O OpenStreetMap é um projeto colaborativo para criar um mapa livre e editável do mundo. Os mapas são criados usando dados de receptores GPS portatéis, fotografias aéreas e outras fontes livres. Tanto as imagens obtidas por processamento dos dados e os dados estão disponíveis sob uma licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.0


Ver Mapa Ampliado

Ele é uma alternativa gratuita e que dá ótimos resultados. Ainda peca em comparação do mapeador famoso do Google, mas devemos dar atenção neste projeto. Vale a conferida.

Geladeira brasileira com Linux! É nóis!

Matéria retirada do site zumo.uol.com.br e escrita por Henrique Martin em 30/11/2010 – 18:21, todos os créditos são dele! Eu só copiei a matéria para compartilhar com vocês.

O refrigerador acima, com o pomposo nome de Electrolux Infinity i-Kitchen, roda Linux embarcado em uma tela sensível ao toque do lado de fora do aparelho (óbvio) e que realiza algumas funções básicas como mostrar receitas e fotos. Ela já está à venda no mercado brasileiro (preço sugerido: R$ 5.999) desde outubro. Continue lendo “Geladeira brasileira com Linux! É nóis!”

Como foi o Ubuntu Install Fest!

Leiam mais!

UbuntuDicas Install Fest

Olá amigos, o Install Fest foi mais legal do que eu imaginava, como era uma sala pequena, não tinha espaço para muita gente, mas podemos considerar que foi casa cheia! 30 pessoas se interessaram pela palestra, 10 levaram a mídia com o Ubuntu para casa, e 3 fizeram a instalação no local, um deles não pode instalar por problemas com o particionamento do HD comZL7…

Continue lendo “Como foi o Ubuntu Install Fest!”

SK1: o CorelDraw e Ilustrator para linux

Muita gente não muda para o Linux por conta de seus aplicativos preferenciais no Windows que não existem similares ou compatíveis. O que não deixa de ser comum, mas as vezes, aparece algo que possa nos surpreender.

Você que é fã do CorelDraw e do Adobe Ilustrator e que nunca testou o Linux por não ter encontrado algo que lhe satisfaça plenamente, pode testar o SK1 Project.

O SK1 é um aplicativo open-source (software livre) que substitui os programas de ilustração como o Corel Draw ou o Adobe Illustrator. A plataforma principal é para o GNU/Linux mas versões para Win32 e MacOS X estão programadas.

O sK1 apoia os profissionais com features tipo cores CMYK, separações, gerenciamento de cor ICC e saída em PDF.

sk1

Instalação

Vá para a página de download e baixe os arquivos .DEB correspondentes ao seu sistema. Eu usei os arquivos da versão 32bits.

Dê duplo clique nos arquivos e instale.

Repositório PPA:

$ sudo add-apt-repository ppa:stani/ppa

(dica do @g0nc1n)

Uma coisa interessante é que ele não instala um item dentro do menu APLICATIVOS > GRÁFICOS, como achamos que deveria ocorrer. Mas não se desespere.

Dê um clique com o botão direito no item APLICATIVOS e selecione EDITAR MENUS. Vá para o item GRÁFICOS e ao lado escolha INCLUIR ITEM.

Neste ponto, você irá incluir o SK1 no menu. Basta colocar o nome do aplicativo e no campo abaixo escreva “gksudo sk1” (sem as aspas). Escolha uma imagem (PNG ou JPEG) como ícone do programa (não veio um na instalação) e clique OK.

Prontinho. Pode usar agora o SK1 e depois me diga se valeu ou não.

Post feito a partir da dica do @Aranho.