O Ubuntu dá medo nas pessoas?

599557_90159834

Algo que é perceptível recentemente é o grande crescimento de usuários do mundo Linux, geralmente os adeptos são aqueles que hard users de internet ou estão ligados diretamente à tecnologia, e devido a incentivo de amigos e familiares muitas outras pessoas estão migrando ao sistema do pinguim, porém ainda existe uma enorme parcela de pessoas que poderiam facilmente também migrar, mas antigas histórias sobre o sistema ainda permanecem, dando até medo em diversas pessoas só de pensar sobre Linux. Qual o motivo disso?

Alguns fantasmas sobre o Ubuntu ser um sistema feio, repleto de incompatibilidades com periféricos, tais como impressoras, multifuncionais, webcams e outros, além de ser difícil de configurar ou instalar. Há pessoas que imaginam que devem ter conhecimentos técnicos avançados para poder mexer no sistema e diversos outros mitos.

O Ubuntu dá medo nas pessoas?

Acreditem, em algumas, sim! O boca a boca ainda é uma das ferramentas mais poderosas de comunicação e que depositamos maior confiabilidade, e más experiências são sempre mais marcantes do que as boas. Segue a ideia de um artigo que escrevi há algum tempo aqui no site, falando que o Linux que acompanha o computador no ato da compra só piora sua reputação, indico para você que não leu, dê uma checada e depois prossiga com a leitura abaixo que fará maior sentido.

Como podemos reverter essa imagem ruim do Linux?

O que devemos indagar para aqueles relutantes que tem o argumento: “Por que vou mudar meu sistema se ele me atende perfeitamente as minhas necessidades? Não preciso de mais nada, está ótimo assim”, tenho certeza que você já se cansou de ouvir essa frase diversas vezes e não sabia quais razões poderia indicar mostrando pontos relevantes para contradizer a esse argumento.

Vejamos alguns pontos que acho interessante:

“Se algo está bom, sempre há a possibilidade de ficar melhor, não custará nada testar, se não gostar, tudo bem, mas pelo menos experimente e teste por um tempo, as vantagens irão surgir com o tempo naturalmente.”

“O Ubuntu tem três possibilidades de uso, a primeira instalando em um local separado do seu sistema atual, outro através do uso sem instalação via pendrive ou DVD, e também há a instalação simples via Wubi no Windows, e temos o bônus online para fazer um tour pelo sistema. Opções não faltam, basta vontade e curiosidade.”

“Ele é gratuito, tem programas gratuitos, funciona com praticamente todas as impressoras, teclados e mouses, além de ser bonito, rápido e leve, e o melhor que não trava, e também abre diversos programas quase que instantaneamente, ao invés de perder precioso tempo esperando cada um abrir.”

Hoje há um cenário bem otimista em relação ao crescimento do Ubuntu, com a internet e artigos voltados para iniciantes, ideias de que sistemas Linux são rústicos é algo que está se tornando ultrapassado, mas claro que há pessoas mais conservadoras que irão permanecer em sua zona de conforto, é direito deles e não há como questionar, mas sempre há aqueles que tem o sentimento de que não há nada a perder experimentando, e são nessas horas que o Ubuntu irá derrubar barreiras e preconceitos, tendo pessoas dispostas a dar suporte e explicar as diferenças, com certeza à experiência do novato/novata será excelente.

Digam nos comentários suas experiências e dicas para quem deseja conhecer mais sobre o mundo Linux, e Ubuntu.

Post sugerido pelo Maudy.

O que você ganha programando com Linux?

O que você ganha programando com Linux?

O que você ganha programando com Linux?

Com o enorme crescimento na área de TI oferecendo cargos e oportunidades interessantes, cresce a demanda de profissionais capacitados, tendo diversos tipos de cursos presenciais ou à distância via internet, grande parte com ótima qualidade.  Aprender programação se tornou algo fácil de aprender, tendo em vista a grande quantidade de material gratuito que encontramos pela internet, seja através de livros, tutoriais, artigos ou vídeo aulas, mas porque muitas pessoas indicam Linux para programação?

 O todo poderoso terminal

O terminal é essencial para a vida de qualquer programador, com comandos rápidos para navegação entre pastas, criação de projetos ou até mesmo programando dentro dele através do VI (Vim). O DOS do Windows tem ‘poderes’ semelhantes, mas para se equivaler ao do Linux são necessárias algumas configurações, atrapalhando o processo de aprendizado.

Eu por exemplo comecei realmente a aprender a programar (Python) quando decidi migrar do Windows para o Ubuntu, as facilidades, ferramentas e desempenho foram fundamentais para dar um enorme alavanque na curva de aprendizado.

As quantidades de ferramentas livres

Ferramentas excelentes existem para todas as plataformas, algumas são pagas e outras livres, mas a grande diferença é a quantidade de opções que o Linux oferece gratuitamente, tendo poderosas opções que não deve muito se comparar as opções pagas.  Aptana, Geany, NinjaIDE, Bluefish, Gedit, SublimeText, VI,  e muitos outros.

Servidores geralmente são Linux

Grande maioria dos servidores tem como o Linux seu sistema padrão, a capacidade de processamento, segurança e estruturação são superiores aos concorrentes, e pelo fato de você criar suas aplicações já em um sistema Linux torna mais fácil de poder fazer deploy.

Suporte da comunidade

Encontrar materiais de estudo sobre tecnologias open source é fácil, existem diversas pessoas que postam em blogs e sites ensinando suas técnicas, processos e dicas.

A cultura open source é sensacional, pois é natural retribuir com outras pessoas o que você aprendeu há algum tempo atrás. Não é a toa que grande parte dos sites e aplicativos mundo afora é construída a partir de tecnologias livres.

Google utiliza Python, Twitter utiliza Ruby on Rails, Instagram utiliza Django, e muitos outros.

O que você ganha programando com Linux? Diga nos comentários compartilhando conteúdo para iniciantes, caso haja dúvidas ou queira informações a respeito das tecnologias citadas, comente que irei logo depois lhe indicar os caminhos para que possa aprender.

Edite seus pdfs com o Master PDF Editor

Edite seus pdfs com o Master PDF Editor

Eu curto muito trabalhar com arquivos PDF e no Ubuntu sempre tinha utilizar o terminal para algumas ações simples, como editar o documento, cortando páginas e afins. Hoje eu resolvi procurar algo que pudesse minimizar essas pequenas ações.

E foi muito simples. Indo a Central de Programas do Ubuntu procurei pelas palavras-chave “pdf editor” e o Master PDF Editor foi a primeira escolha. Apesar de aparecer o link de comprar no lugar de instalar não fique com medo. Basta clicar, assinar com sua conta do Ubuntu One e baixar/instalar o programa pois ele é livre para uso pessoal. Nada de mais.

Eu realmente gostei e recomendo o uso.

pdf editor

Features do editor

  • altera qualquer objeto do arquivo
  • edição de documento intuitivo
  • não precisa de pré-conhecimento sobre o formato
  • rápido na visualização dos arquivos
  • edição de bookmarks
  • cria e edita campos de formulários
  • importa arquivos JPG, BMP, PNG com resolução de 80 DPI a 600 DPI.
  • encripta os arquivos

Master PDF Editor em vídeo

Apesar do vídeo ser em espanhol, ele mostra alguns dos features do editor de pdf que qualquer pessoa pode entender.

GNUGRAF 2013

Mais um ano se inicia, e com ele vem os preparativos para mais uma edição do GNUGRAF!

A primeira novidade deste ano é nosso site novo, totalmente refeito em WordPress, no menu superior pode-se encontrar informações sobre o evento, ver como foi as edições anteriores e até entrar em contato conosco para tirar dúvidas ou dar sugestões.

No menu logo abaixo se encontram as informações sobre a edição atual, como Grade de palestras e minicursos, equipe e local. Este ano faremos mais uma edição no CEFET/RJ Unidade Maracanã – Av. Maracanã, 229 – Maracanã – Rio de Janeiro – RJ – 20271-110, será nos dias27/09 e 28/09. Também resolvemos abrir para o público o formulário de palestras e oficinas, ele se encontra no segundo menu.

Lembrando, que o GNUGRAF não possui patrocínios que justifique custeio de passagens e hospedagem, então os palestrantes ou oficineiros que se candidatarem terão que vir com os próprios recursos. Maiores informações: http://gnugraf.org

O Ubuntu não serve para empresas

O Ubuntu não serve para empresas. Será?

O Ubuntu não serve para empresas. Será?

Estive pensando a respeito da incorporação do Ubuntu em uma empresa tradicional, similar a escritórios ou pequenos comércios, alguns programas são essenciais no uso diário, tais como programa de planilhas para gerenciamento de valores e criação de tabelas, editor de texto para criação e edição de documentos, um navegador para acesso a internet, além do software proprietário para gerenciamento de loja.  Mas nesse último quesito que a coisa trava.

Grande parte dos softwares proprietários são desenvolvidas para Windows, é natural, pois ainda a grande quantidade de desktops que temos no mercado que já acompanham o sistema da janelinha. São raros os casos de sistemas que funcionem em ambos, e temos alguns motivos bem fortes para isso ocorrer.

Criar sistemas que sejam multiplataforma custa caro, cada um há peculiaridades e características que não tornam viável o desenvolvimento.  Existem sistemas ótimos desenvolvidos para ambas as plataformas, mas pensando de um modo geral fica bem claro como o mercado do Ubuntu poderia crescer mais.

Com isso estamos levando em consideração para aplicativos desktop, claro que também podemos inserir via Wine, mas dará muita dor de cabeça por questões de rede e configurações.

Ubuntu. Como podemos resolver essa questão de forma simples?

Aplicativos em cloud computing. Existem diversas empresas que desenvolvem sistemas que rodem em um servidor próprio, ou senão da empresa que fornece o serviço no qual são criados diversos painéis de gerenciamento que são acessados via browser. É mais seguro, estável e com menor custo por estar pronto, além de personalizável.

Existem diversas outras soluções, e talvez esteja pensando no mercado de forma errado, mas por este ponto infelizmente não posso utilizar o Ubuntu em meu desktop do escritório.

Diga nos comentários o que acha disso, se é uma verdade absoluta ou há mudanças que não indiquem esses indícios.

Nota importante

O Ubuntu é excelente e muito bem indicado para implantação de Linux em empresas, independente do tamanho, o conteúdo acima cita apenas um caso específico em que o Ubuntu encontra algumas dificuldades para adaptação. Existem infinitos cases de sucesso no qual Ubuntu foi implementado, nos comentários já são citados diversos, não leve o título tão a sério, foi de propósito ao 1º de Abril.

– O título tanto é brincadeira como ‘meia verdade’, serve apenas como forma de chamar sua atenção, não leve tão a sério, até porque o importante é ter uma ‘embalagem(título) que chame atenção e um conteúdo interessante.

– Não falei que não existem excelentes opções livres, o texto se refere apenas a um nicho específico de mercado, por mais que o título seja abrangente e dê essa ideia maior, o texto se direciona especificamente para esse tipo de software, acredito que nisso que houve a confusão.

– Não pense em casos de empresas específicas, pense no macro mercado, leve em consideração que 85% deles não tem qualquer tipo de instrução ou orientação em relação a implementação de sistemas, geralmente é um computador(es) que estão lá e quer algo para rodar.

– Desculpas, o post poderia ter sido melhor explícito como o Maudy comentou.

– Amo o Ubuntu, gosto tanto dele que falo alguns problemas que encontro para que haja discussão a respeito e encontrarmos soluções, e não é a toa que foram citados diversos softwares nos comentários para que todos conheçam.