Vem aí o novo endereço da Internet

Uma das grandes características da Internet é a possibilidade de comunicação entre duas máquinas quaisquer que estejam conectadas na grande rede. Isto só é possível porque cada dispositivo ligado a Internet possui um endereço único, também conhecido com endereço IP. Atualmente este endereço possui 32 bits que são distribuídos em 4 bytes, o que dá origem aqueles quatro números separados por pontos que encontramos em muitas configurações de rede como por exemplo o 192.168.1.1.

Apesar de possuir um grande número de combinações, o que permite identificar um enorme quantidade de computadores conectados, o crescimento da Internet surpreendeu seus criadores e agora os endereços disponíveis estão acabando. Pode-se dizer que este esquema de endereçamento até que durou muito pois foi criado no final da década de 60 e está em uso até hoje.



E agora? O que fazer? Será que a Internet ficará limitada aos endereços disponíveis? Nada disto. O endereço IP hoje em uso está na versão 4 ou também conhecido como IPv4. Para corrigir este e outros problemas do IPv4 foi criado uma nova versão, conhecida como 6 ou IPv6. Mas quais são as vantagens desta nova versão?

A principal vantagem está no número de máquinas que podem ser identificadas na Internet. O endereço passou dos 32 bits (IPv4) para 128 bits (IPv6) o que permite a distribuição de mais de dez bilhões de endereços IP para cada metro quadrado do planeta. Uma quantidade e tanto não? A situação é similar ao que aconteceu com as placas dos automóveis quando foi necessária a inclusão de mais uma letra, passando de duas letras e quatro números para as atuais três letras e quatro números.

Outra vantagem está na segurança da rede. O IPv4 foi criado em uma época em que existia pouca ou nenhuma preocupação com a segurança, situação muito diferente de hoje. Desta forma o IPv6 já nasceu com uma série de bloqueios e recursos para, por exemplo, impedir o ataque de Spoofing onde um internauta envia uma mensagem se fazendo passar por outra pessoa.

Mas não foi só a segurança que mudou com o tempo, atualmente o conteúdo da Internet também está muito diferente. No início a Internet transportava basicamente informações de texto, muito diferente dos vídeos, fotos, músicas e ligações telefônicas de hoje. Para dar um tratamento adequado e este tipo de tráfego o IPv6 também possui vários controles bastante eficientes.

Atualmente praticamente todos os sistemas operacionais já suportam o IPv6. O problema está nos roteadores (ou modems que funcionam como roteadores), switches, impressoras de rede e Access Points. Estes equipamentos irão necessitar de atualizações para poder entender o novo IP. Fique atento quando for adquirir um destes produtos para saber se eles já suportam a nova versão do IP.

A migração do IPv4 para o IPv6 é uma grande evolução para a rede mas vai precisar de cuidados.



Gilberto Sudré