Ubuntu torna-se o sistema padrão dos telecentros

Serpro customiza uma versão mais leve do sistema operacional, capaz de funcionar em máquinas com configuração simples. Com o Ubuntu, os computadores dos telecentros passam a aceitar atualizações e oferecer opções de acessibilidade para deficientes visuais.

A partir dessa definição do Programa Serpro de Inclusão Digital, todas as novas máquinas doadas pela empresa utilizarão o Ubuntu. Os mais de trezentos telecentros já existentes serão atualizados de forma gradual, durante visitas técnicas. Antes da opção pelo Ubuntu, as máquinas utilizavam o Fedora 4.



O desafio da empresa foi desenvolver uma versão do Ubuntu capaz de funcionar em máquinas antigas e que pudesse ser distribuída em CDs.

Leveza e acessibilidade
A solução foi dividir o Ubuntu em três CDs independentes, respeitando a configuração dos computadores já existentes. Para o coordenador do projeto, Francisco de Assis Amaro, “os telecentros agora terão melhores recursos de multimídia, versões atualizadas dos programas Broffice e Firefox, além do Orca, aplicativo de acessibilidade para deficientes visuais”.

O Cein informou que trabalha na elaboração de um manual do Orca, que deve estar disponível para distribuição em fevereiro de 2010. Outro projeto em andamento é um sintetizador de voz, desenvolvido junto à UFRJ, e que também será destinado aos usuários com pouca ou nenhuma visão.

Acompanhamento
A versão do Ubuntu disponibilizada pelo Serpro oferece, ainda, informações sobre estatísticas de uso e acesso das máquinas. Em um convênio junto à Rede Brasil Digital, a empresa passa a gerar um banco de dados sobre o dia-a-dia de todos os telecentros da rede, de forma que os coordenadores dos projetos de inclusão digital poderão saber quais os telecentros estão, de fato, em uso pela comunidade.

fonte