Meizu anuncia que o Ubuntu Phone será vendido internacionalmente

Isso quer dizer que o Ubuntu Phone será vendido nos Estados Unidos. E só por enquanto.

Ubuntu Phone

A Meizu finalmente confirmou que planeja usar o dispositivo MX4 para apresentar o sistema Ubuntu Phone no Mobile World Congress 2015, em Barcelona, ​​e também será a plataforma que vai lançar internacionalmente com o sistema Ubuntu.

A Meizu entrou em uma parceria oficial com Canonical há alguns meses atrás e todo mundo queria saber quais seriam os dispositivos que eles vão usar para o sistema operacional Ubuntu.

Agora é oficial que Meizu estará presente no Mobile World Congress 2015, em Barcelona com o MX4 rodando Ubuntu Phone.

Mas não é só isso: o Meizu MX4 será um lançamento internacional a ser anunciado logo após o evento. Isso significa que o novo telefone Meizu MX4 Ubuntu estará disponível internacionalmente, e não apenas na Ásia. E sim, ele também estará disponível em os EUA (nada do Brasil, por enquanto).

Meizu MX4 é uma boa escolha para o Ubuntu Phone

Este dispositivo é especial vem com algumas especificações de hardware muito interessantes. Este é o primeiro telefone construído com o novo MediaTek MT6595 SoC (system on chip) e é um octa-core, o que significa que ele é um processador com oito núcleos. Vem com um 2.2 GHz processador Cortex A17 quad-core e um processador A7 1.7 GHz quad-core, e os dois são usados ​​em conjunto ou separadamente, dependendo das necessidades.

Ele também vem com uma tela de  5,36 polegadas da Sharp / JDI, em uma resolução de 1920 x 1152, e Corning Gorilla Glass 3, e uma câmera traseira de 20,7 megapixels (2MP por um frontal).

O Mobile World Congress 2015 terá lugar entre 2 de março e 5, em Barcelona.

Agora é esperar a repercussão deste Ubuntu Phone e esperar chegar pior aqui.

Comercial do Ubuntu Phone

Veja o primeiro Comercial do Ubuntu Phone do BQ.

Ubuntu Phone e suas descrições técnicas, como já detalhadas aqui antes:

  • O BQ Aquaris E4.5 tem o Ubuntu 14.10;
  • O aparelho tem o tamanho de 4,5 polegadas;
  • resolução 960×540 pixels;
  • processador quad-core MediaTek MT6582 de 1,3 GHz;
  • 1 GB de RAM;
  • 8 GB para armazenamento interno de dados e com suporte a um cartão de memória de até 32 GB;
  • o aparelho também tem suporte a dois cartões SIM;
  • câmera traseira de 8 megapixels;
  • câmera frontal de 5 mexapixels;
  • Wi-Fi 802.11n;
  • Bluetooth 4.0;
  • 3G (não há LTE) e
  • bateria de 2.150 mAh.

Ubuntu Phone

Custa 160 euros e sem previsão de chegar por aqui por meios oficiais. Curtiu o Ubuntu Phone?

Ubuntu Phone e suas especificações

Ubuntu Phone e suas especificações

Ubuntu Phone

Da Canonical: “Estamos confiantes e animados com a parceria com a fabricante de dispositivos móveis espanhol BQ para o telefone Ubuntu.

BQ esta dedicada à concepção e fabricação de dispositivos de multimídia. São apenas seis diretores formados há sete anos, onde se conheceram como estudantes de telecomunicações que iria consertar computadores em seu tempo livre. Hoje é um dos top-selling tablet, e-reader e smartphone dentro da Espanha, que está à frente em inovação, com a sua entrada em impressão 3D e kits robóticos. A empresa desenvolveu o DIY: My First Robotics Kit em uma tentativa de desmistificar a tecnologia, estimulando as crianças a começar a construir seus próprios modelos robóticos. E a sua entrada em impressão 3D com bq Witbox tem sido comercialmente impressionante onde eles recrutados profissionais líderes de impressão da Espanha e setores robóticos.

Uma marca inovadora forte, que opera na Europa, com mais de 600 funcionários.

Aquarius E4.5 Ubuntu estará disponível na Europa e poderão ser adquiridos através do site da BQ em breve.”

Especificações do Ubuntu Phone

Tela
4.5″ qHD (960×540)

Câmera
5MP Fixed Focus+13MP Autofocus
Dual Flash

SIM
Dual micro sim

Bateria
2150mAh

Conectividade
GSM/GPRS/EDGE/WCDMA/HSPA+

CPU
Quad A7/1.3GHz

RAM
1GB

Sensores
Gyroscope, Proximity, Light

Fonte

Ansioso(a) para ter seu Ubuntu Phone em breve?

Ubuntu Dicas no Viber

O primeiro grupo aberto de software livre e Ubuntu do Viber no Brasil é nosso!

Viber - grupo aberto do Ubuntu

E começamos 2015 com uma putz novidade: o grupo aberto do Ubuntu Dicas no Viber!

Agora você poderá nos seguir em seu espertofone e ficar ligado em nossas opiniões totalmente balizadas e sem noção! Neste grupo, iremos papear sobre tudo que rola no mundo tecnológico do software livre e tirar sarro de algumas pataquadas dos SO proprietários.

Viber? Que raios é isso?

O Viber é um mensageiro de voz tipo Whastapp mas com um diferencial bem bacana: é multiplataforma e com o recurso de grupos abertos. Gostaria muito de usar o Telegram (que é open source) mas ele não tem este recurso ainda.

Como seguir o UD?

Simples! Basta acessar este link e baixar o programa para Linux, depois é só procurar nosso grupo por Ubuntu ou Linux e seguir. Muito fácil. Agora se você já tem o programa no seu tablet ou espertofone o procedimento é o mesmo.

O Viber para Linux permite enviar mensagens gratuitas e fazer ligações gratuitas a outros usuários Viber, em qualquer dispositivo e rede, em qualquer país!O Viber sincroniza seus contatos e mensagens com seu dispositivo móvel.

  • Mensagens de texto, foto e sticker
  • Conversas em Grupo
  • Ligue para qualquer usuário Viber grátis
  • Sincronização completa entre seu celular e seu Linux
  • Transfira as ligações recebidas entre seu celular e seu desktop
  • Não é necessário se registrar, nem ter senhas ou convites
  • Testado em: Ubuntu

UPDATE: Agora temos as presenças do Dionatan Simioni do Blog Diolinux e do Aprígio Simões! Linux e zuera garantida!

Estão convidados(as)! Vamos compartilhar essa oportunidade com os seus amigos. O Ubuntu Dicas e amigos especiais de outros blogs estarão lá, portanto, abra seu Viber e encontre a gente!

Samsung adere ao software livre

Samsung adere ao software livre em suas TVs

Vai ser lançada este ano a primeira TV inteligente com software Tizen da Samsung.

Samsung adere ao software livre

A Samsung irá utilizar o sistema Tizen- que é de código aberto – em suas TVs a partir deste ano.

Para além da redução de custos, a gigante sul-coreana pretende deixar de estar totalmente dependente do sistema operativo Android da Google. Em declarações sobre este projeto, o vice-presidente-executivo da Samsung, Lee Won-Jin afirma que “a construção da plataforma inteligente com base no Tizen representa um passo em direção a um sistema integrado mais inovador e inteligente”.

A Samsung está a colaborar diretamente com a multinacional norte-americana Intel no desenvolvimento da plataforma Tizen. O objectivo é que esta plataforma possa ser posteriormente incluída em muitos outros aparelhos, como por exemplo telemóveis, electrodomésticos e máquinas fotográficas. A primeira desta nova gama de televisões inteligentes será apresentada pela Samsung no decorrer da próxima semana na Feira Internacional de Electrônica de Consumo, em Las Vegas.

As principais características destas novas televisões inteligentes, e que as podem diferenciar no mercado, estão ligadas a três grupos centrais: O fácil acesso através de uma interface redesenhada, em que o conteúdo apresentado será definido pelo próprio utilizador. A tecnologia Wi-Fi Direct e a conectividade por Bluetooth vão permitir a conexão automática de vários dispositivos e a troca de informação entre eles, permitindo até passar para um smartphone o que estiver a ser transmitido num qualquer canal.

O entretenimento também não foi esquecido e será de facto uma mais-valia. Nestas novas televisões será possível ter acesso ao PlayStation Now, o serviço de streaming de jogos da Sony. Basta utilizar um controle dual-shock para divertir-se, sem ter de adquirir nenhuma consola própria para o efeito.

Um vasto leque de opções vai permitir que estas televisões tenham uma maior flexibilidade de utilização. A compatibilidade do Tizen com outros gadgets irá permitir o controle de qualquer “casa inteligente” através destes novos televisores. Desta forma a Samsung pretende revolucionar o entretenimento através das suas televisões.

Fonte: http://pt.blastingnews.com

A Samsung irá agradar mais aos clientes usando open source, não acha?